A agitada Fortaleza, capital do Ceará, é também região efervescente na expressão artesanal. Foi lá, em 2005, que Marco D. Julio e Marcelo Fialho somaram seus caminhos inspirados pelas inúmeras tipologias que os rodeavam.

O TROPICALISTA CRIA E DESENVOLVE ESTAMPAS E PADRONAGENS PARA MODA E DECORAÇÃO.


A agitada Fortaleza, capital do Ceará, é também região efervescente na expressão artesanal. Foi lá, em 2005, que Marco D. Julio e Marcelo Fialho somaram seus caminhos inspirados pelas inúmeras tipologias que os rodeavam. O momento do comércio varejista de confecção era próspero, assim como os incentivos. E muitos criativos apostavam todas suas fichas na produção autoral. Eles fizeram o mesmo.

“Nosso desafio era desenvolver tecidos com estamparia corrida para atender a essa demanda, focada em quantidades reduzidas e alto valor agregado. Aproveitamos também o momento em que a impressão digital em tecidos iniciava seu processo de expansão no Brasil, trazendo a possibilidade de produzir estamparia exclusiva em pequenas quantidades, em oposição às tecnologias tradicionais de grande escala e volume”, conta Marcelo.

Os anos de experiência no mercado cearense amadureceram a decisão dos designers. Estava nos planos oficializar um novo ciclo criativo e mudar completamente o cenário de vida. Então, em 2012, o duo migrou para Florianópolis, não estabelecendo a cidade apenas como lar. Ali nascia também O Tropicalista.

“O estúdio nasce da necessidade de um dispositivo que articulasse nossas pesquisas, organizasse a criação, o desenvolvimento e a veiculação dos nossos projetos e, ainda, que estabelecesse as relações com parceiros, instituições e com o mercado. É a nossa interface profissional com o mundo. Já trabalhamos juntos há mais de uma década, mas foi com a vinda para Florianópolis, que reconhecemos o anseio por esse tipo de organização para o nosso trabalho”, revela Marco.

O estúdio atua na criação e desenvolvimento de estampas e padronagens para os universos da moda e da decoração. “Por um lado estamos abertos às propostas da indústria têxtil brasileira que vem, cada vez mais, percebendo a necessidade de diferenciar-se no mercado.

Por outro, temos a agilidade e flexibilidade para oferecer soluções para estilistas e arquitetos que querem imprimir originalidade aos seus projetos com tecidos diferenciados e, mesmo, exclusivos”, reforçam. A linguagem conquistada até então evidencia o processo criativo particular dos designers, que buscam inspiração constante na natureza, nas andanças pela cidade e na cultura brasileira.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Marcelo Filho (E) e Marco D. Julio do estúdio O TROPICALISTA na sua casa-ateliê, espaço de experimentações, criações e desenvolvimento de novas estampas e padronagens.
FOTO:  Mariana Boro / Divulgação