Desde 1949 três gerações da mesma família se revezam no comando e atendimento da Foguinho, uma das mais tradicionais padarias de Florianópolis, localizada na parte central da Ilha.

PADARIA FOGUINHO, QUE ESTÁ NO MESMO ENDEREÇO NA CAPITAL DESDE 1949, PASSA POR REFORMA TOTAL


Desde 1949 três gerações da mesma família se revezam no comando e atendimento da Foguinho, uma das mais tradicionais padarias de Florianópolis, localizada na parte central da Ilha. De lá para cá, pouca coisa mudou na ambientação do prédio de três andares que tem aproximadamente 300 m2. Mas com a demanda de clientes cada vez maior e uma estrutura que não comportava mais esse crescimento, a saída foi repaginar totalmente o lugar que, em quase sete décadas, só tinha passado por pequenas reformas.

As escolhidas para o extreme makeover da Foguinho foram as arquitetas Carol Porto e Isadora Maestri, da Porto Maestri Arquitetura e Interiores. A dupla seguiu à risca o briefing proposto pelo cliente, incorporando no projeto várias benfeitorias que deixaram o local mais clean, organizado e funcional.

“As necessidades eram as mais diversas: desde melhorar o visual do layout, pois muita coisa tinha sido remendada durante esses 68 anos, até adequar a funcionalidade dos três pavimentos para a realidade atual dos funcionários e da clientela. Além disso, refizemos todas as redes de esgoto, hidráulica e elétrica”, comenta Isadora.

O quebra-quebra começou pelo primeiro pavimento, onde a lanchonete, que ocupava 30% do salão, saiu de cena dando vez para uma movimentação mais fluida, acabando com a confusão na circulação entre os clientes que buscavam os serviços da padaria, da lanchonete e do autoatendimento.

O chão do espaço com quatro contra pisos – um em cima do outro – foi totalmente refeito em piso de porcelanato amadeirado. No lugar dos antigos balcões, prateleiras e estantes, entraram móveis sob medida em MDF nos tons de madeira, nude e cinza. O número de caixas aumentou para sete, sendo um deles disponibilizado exclusivamente para clientes preferenciais.

Os revestimentos geométricos posicionados nas paredes dos caixas e os cobogós na entrada da padaria conferiram um toque artístico ao espaço. Plantas, espelhos pontuais e uma iluminação contemporânea também ajudaram na composição do layout. Anteriormente misturados, os expositores de alimentos frios, congelados e secos foram organizados.

No segundo e terceiro andares estão localizadas a produção da padaria e da confeitaria, respectivamente. O acesso de serviço para esses pavimentos se dava por uma escada que tornava caótico o ir e vir dos funcionários e entregadores. A escada foi demolida e projetado um acesso melhor planejado.

“Como estavam trabalhando com a carga no limite, refizemos toda a parte elétrica para alimentar o maquinário existente. E para suprir a falta de energia em caso de queda reestruturamos também o projeto de iluminação de emergência”, explica Carol.

Para deixar as laterais do prédio livres e com aspecto mais limpo, os motores de refrigeração e dos ares-condicionados foram organizados em uma plataforma na cobertura. Na fachada, as grades de segurança foram retiradas e os vidros simples trocados por duplos blindados. As pastilhas que cobriam a parede ganharam uma pintura especial, unificando as cores. A porta de entrada foi deslocada para a lateral e ganhou uma rampa para portadores de necessidades especiais.

“Nada da estrutura anterior foi aproveitado – refizemos tudo em tempo recorde. Duas equipes trabalharam quase 24 horas por dia para entregar a obra ao final de duas semanas” revelam as arquitetas.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]
Fotos: Lio Simas/Divulgação