Movimento envolve mais de 200 pessoas de frentes multidisciplinares nos seis eixos de desenvolvimento econômicos locais. Um diagnóstico da cidade foi traçado e, a partir das informações do relatório, serão propostas ações que visam criar identidade própria para a cidade.

Um diagnóstico da cidade foi traçado e, a partir das informações do relatório, serão propostas ações que visam criar identidade própria para a cidade.

No início de julho, a Glóbulo (empresa que há 13 anos trabalha com o reposicionamento de marcas nacionais e internacionais) entregou ao Comitê Gestor do Plano de Desenvolvimento Municipal de Lages (o Pedem, que envolve poder público e iniciativa privada), a primeira fase do Criaticidade. O projeto prevê o reposicionamento da cidade de Lages num movimento que envolve mais de 200 pessoas de frentes multidisciplinares nos seis eixos de desenvolvimento econômicos locais, a Cadeia da Madeira, Inova Serra SC (eixo de TI), Turismo e Comércio, EletroMetalMecânico, Agroalimentar e Saúde. Esta primeira etapa do projeto, que é 100% patrocinado pela iniciativa privada, consistiu numa grande pesquisa de campo, com mais de 500 entrevistas realizadas em 60 dias, que resultou num diagnóstico da região de Lages relacionado aos mais diversos setores entre turismo, economia, trabalho e renda, lazer e educação.  Os recursos vieram das empresas Klabin, NDD, Flex, Banco da Família, Engie, CJ Automotiva, Transul, Expert Engenharia, Vossko e Posto Guarujá.

“Este grande raio X da cidade, vai dar embasamento para a próxima fase do projeto que é pioneiro em Santa Catarina e fará de Lages, e todos os seus recursos, uma marca única que trará identidade e valorizará os potenciais desta que é a 8ª economia de Santa Catarina”,

explica Diogo Machado, sócio da Glóbulo, que ressalta a união espontânea de todos os atores da Serra em prol de um propósito único, que é diminuir a desigualdade social e aumentar o potencial econômico da região por meio de soluções criativas.

As empresas Klabin, NDD, Flex, Banco da Familia, Engie, CJ Automotiva, Transul, Expert Engenharia, Vossko e Posto Guarujá são os investidores do projeto Criaticidade, que tem prazo de entrega em setembro deste ano.

Entre os dados relevantes do diagnóstico, percebeu-se, por exemplo, que Lages teve nos últimos oito anos um crescimento populacional de apenas 0,03% e, apesar de uma economia forte, a cidade fica entre as cidades com maior nível de desigualdade social do estado. Essa realidade, assim como outras apontadas de forma segmentada no relatório, serão o foco dos andamentos da fase 2 do projeto.

“A iniciativa deste estudo é extremamente importante, pois assim como nós estamos trabalhando há três anos para mapear o ecossistema de inovação, as informações que estão sendo feitas pra esse diagnóstico têm um valor fundamental para o que a gente vai planejar daqui para frente”, defende Claiton Camargo, diretor do Orion Parque Tecnológico da Serra Catarinense.

Instituições tradicionais da cidade, como a Associação Comercial e Empresarial de Lages (Acil), também credenciam o movimento e a compilação de dados. De acordo com o presidente da Acil, Sadi Montemazzo, as ações executadas a partir deste diagnóstico contribuirão com o fortalecimento da economia local.

“Nós já tivemos uma das maiores economias do Estado e precisamos unir forças, trabalhar juntos, o poder público, o privado e a sociedade no geral, para realizar ações que fortaleçam a economia e atraiam novos investimentos para Lages. Assim, os lageanos sentirão orgulho novamente da nossa terra”, afirma.   

E na congruência de entidades conectadas na busca por ressignificar Lages, está também a administração pública municipal, que tem contribuído para a formatação desta ação pioneira. Para o vice-prefeito de Lages, Juliano Polese, a partir desta verificação será prossível identificar e buscar o propósito comum de todos os atores deste processo.

“Os resultados serão conhecidos com a entrega do diagnóstico completo, o que deve acontecer no mês de setembro, quando se encerra a segunda etapa do cidade Criativa. É uma atividade importante para observar as oportunidades da cidade”, afirma.

Essa opinião vai ao encontro das impressões do gerente regional do Sebrae/SC (outro parceiro estratégico do projeto), Altenir Agostini, para quem a 1ª fase do projeto conseguiu levantar diversas percepções a respeito da cidade.

“Fomos além de conhecer virtudes e necessidades do município, e foi possível vislumbrar caminhos a serem seguidos pela comunidade de uma maneira geral, e pelas instituições em particular” finaliza Agostini.

 

A segunda etapa

Com data para início em 1º de agosto, a segunda etapa do projeto Criaticidade vai trabalhar sugestões de ações práticas, além de um propósito que unifique o discurso da região de Lages. A ideia é projetar um desenvolvimento que agregue toda a comunidade, enfatizando os recurso naturais e humanos, além das vocações agrícolas e turísticas, sempre acompanhados de formação adequada e eficaz para profissionalizar os setores do município.

 

Em destaque: Imagem aérea de Lages  | Foto: Sul Florestas Geo Engenharia/Divulgação