A maneira como as pessoas interagem com as marcas mudou. É o que indica a pesquisa “Evolução do Consumidor Digital no Brasil”, realizada pela HubSpot, plataforma líder de CRM, marketing, vendas e atendimento ao cliente. Segundo o estudo, hoje, cada vez mais conectados, 51% dos consumidores afirmam ter mais confiança nas informações do Google do que na opinião de amigos e familiares (46%).

Maioria diz confiar mais no Google do que na opinião de amigos e parentes


A maneira como as pessoas interagem com as marcas mudou. É o que indica a pesquisa “Evolução do Consumidor Digital no Brasil”, realizada pela HubSpot, plataforma líder de CRM, marketing, vendas e atendimento ao cliente. Segundo o estudo, hoje, cada vez mais conectados, 51% dos consumidores afirmam ter mais confiança nas informações do Google do que na opinião de amigos e familiares (46%).
O estudo traz informações sobre o comportamento dos clientes nas redes sociais, sobre em quais canais estão os consumidores e qual a melhor forma para se comunicar com eles. Realizado com mais de 600 executivos de diferentes setores do mercado brasileiro, o relatório aponta, por exemplo, que 80% das pessoas acreditam que as redes sociais têm um impacto positivo na sociedade.

De acordo com Rodrigo Souto, gerente de marketing da HubSpot no Brasil, a empresa percebeu um movimento interessante no mercado brasileiro:

“Notamos que a forma como os consumidores brasileiros se comunicam afeta diretamente nas operações das empresas: eles trocam informações, compartilham experiências e pesquisam antes de entrar em contato com uma companhia”, explica.

Quando questionados sobre em quais canais ou plataformas descobrem novos produtos e empresas, 72% dos entrevistados indicaram o Google, 56%, o Facebook e 50%, o Youtube. Além disso, a maior parte dos pesquisados, 45%, preferem consumir conteúdo em vídeo (como tutoriais) das marcas e empresas que acompanham. Quarenta por cento preferem informações por email e 34% por imagens em redes sociais (como posts no Instagram).

Já 67% dos entrevistados preferem se envolver e aprender mais sobre as marcas que gostam por meio do website oficial, 47%, assistindo os vídeos da companhia e 42% curtindo conteúdo na página do Facebook. Fechar negócios segue como prioridade dentro das empresas, com 70%. Entretanto, 39% dos entrevistados querem melhorar a eficácia de seus processos (como a melhora do funil de vendas, por exemplo).

Nos próximos 12 meses, estes são os canais de distribuição de conteúdo que estão no planejamento das companhias como foco das ações de marketing: Youtube (63%), Instagram (58%), Vídeos no Facebook (56%) e Redes Profissionais como o LinkedIn (54%).

“Após uma compreensão clara do que ocorre no mercado, os desafios podem se transformar em oportunidades de crescimento e auxiliar nas estratégias certas”, explica Souto. “Com o estudo, é possível mensurar como os líderes de vendas e marketing no Brasil estão acompanhando as rápidas mudanças no cenário digital. E isso leva à adaptação de acordo com as mudanças de comportamento do consumidor. Essas mudanças tendem a ir em direção a um mundo mais digitalizado” completa.

 

Foto: Pixabay