Pesquisa realizada pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RS) comparou as ambições dos jovens entre 18 e 34 anos, de 2013 a 2017, e constatou que, impulsionados pelas crises econômica e política enfrentadas pelo país nesse período, as pessoas nessa faixa etária querem maior estabilidade.

FERRAMENTAS E METODOLOGIAS AJUDAM EMPRESAS A SE ADAPTAR E ATRAIR PROFISSIONAIS DA GERAÇÃO Z.


Pesquisa realizada pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RS) comparou as ambições dos jovens entre 18 e 34 anos, de 2013 a 2017, e constatou que, impulsionados pelas crises econômica e política enfrentadas pelo país nesse período, as pessoas nessa faixa etária querem maior estabilidade. Em 2013, 48% procuravam por trabalhos condizentes com o que lhes fazia feliz, enquanto que 2017, número caiu para 34%, e 38% disseram que estão atrás de um emprego que possa proporcionar melhores salários. Além da questão financeira, a geração Z (que nasceu e cresceu em um mundo conectado) procura no mercado de trabalho reconhecimento e desenvolvimento (72%), desafio, conforto e estrutura (48%), carteira assinada (72%) e flexibilidade (39%).

Para as empresas, atrair e reter esses profissionais exige adaptação. Mas o mercado já está atento a isso e oferece ferramentas e metodologias que buscam, ainda, aumentar o desempenho deles, sem perder o controle, nem a produtividade. Confira algumas iniciativas de empresas catarinenses nesse sentido.

 

DESENVOLVIMENTO EM CONJUNTO


Os profissionais da nova geração, principalmente na área de tecnologia, buscam no mercado mais do que retorno financeiro: é preciso oferecer formas de gerar reconhecimento e desenvolvimento pessoal. Os jovens querem se sentir parte dos projetos em que estão envolvidos. Pensando nisso, a Cheese¬cake Labs, empresa de desenvolvimento e design web & mobile, com sede em Florianópolis, aplica uma gestão inclusiva que define um plano de ação para cada um de seus 50 colaboradores.

“Medir só os resultados é pouco para a nova geração. Os profissionais de hoje buscam retorno rápido e perspectivas de sucesso mais claras para sua própria carreira”, afirma Victor Oliveira, CEO da Cheesecake Labs.

Os colaboradores têm ainda direito a adquirir ações da empresa, ajudam a elaborar o próprio plano de carreira e recebem participação nos lucros e bônus a cada atividade que contribua para seu desenvolvimento, como leitura de livros e participação em projetos sociais, eventos e palestras.

 

ESCRITÓRIOS DESCONTRAÍDOS


Cerca de 48% dos trabalhadores da nova geração levam a estrutura dos escritórios em consideração quando vão entrar no mercado de trabalho. Pensando nisso, a HostGator, uma das principais empresas de solução para hospedagem de sites do Brasil, apostou em um espaço moderno e com tecnologia de ponta no seu escritório em Florianópolis. A empresa investiu cerca de R$ 3,9 milhões no local de quase 3 mil m², com o objetivo de garantir melhor convívio entre os colaboradores. A empresa apostou no conceito de Open Space, privilegiando o contato entre os funcionários em um grande escritório sem paredes.

Além das novidades tecnológicas planejou um amplo espaço de descompressão com jogos diversos, alimentação, salas de reunião formais e informais, espaço de confraternização com churrasqueira e cozinha completa, cantinho da soneca, três salas de treinamento e chuveiros.

 

MOTIVAR PARA PRODUZIR


Depressão e a ansiedade estão entre as maiores causas de adoecimento de funcionários no país. Mundialmente, eles geram perdas de US$ 1 trilhão por ano às empresas. Falta de propósito, individualismo e assédio moral são alguns dos fatores que corroboram para o crescimento das estatísticas. Uma das formas de prevenir a doença é o estímulo ao encontro de motivação. A Coblue, de Balneário Camboriú, desenvolveu o primeiro software de OKR do Brasil. O método de gestão ajuda muito mais do que delimitar objetivos para um crescimento ágil: com metas bem alinhadas e transparência, cada um consegue enxergar o seu papel dentro da empresa, e consequentemente, encontrar um propósito e motivação no trabalho. Além disso, o software promove a cooperação, incentivando a troca entre times e o contato entre as pessoas.

 

TECNOLOGIA PARA TRABALHO FLEXÍVEL


Uma das dificuldades enfrentadas pelas empresas que possuem funcionários com jornada de trabalho home office e flexíveis – era administrar com exatidão suas batidas de ponto. O software de reconhecimento facial da Ahgora, de Florianópolis, utiliza a câmera de celular e resolve essa questão em função da sua mobilidade, ou seja, é possível realizar a batida de ponto de onde estiver, e garantindo que foi o próprio funcionário quem efetuou o registro.

A batida de ponto pelo software resolve a questão da confiabilidade das batidas de ponto dos colaboradores com jornada externa com a precisão da geolocalização. O formato garante que o processo de acordo com a legislação vigente, evitando problemas ou ações trabalhistas no futuro. A tecnologia utiliza algoritmos sofisticados para detectar até 70 pontos faciais diferentes como olhos, contornos dos olhos, sobrancelhas, contornos dos lábios, ponta do nariz, e cruza as informações com as fotos armazenadas.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]