Mesmo de forma mais lenta do que gostaríamos, a economia dá sinas de recuperação. Um alívio para os últimos tempos, que foram difíceis e impactantes para boa parte do setor produtivo nacional e catarinense. E os mercados da construção civil e imobiliário, importantes termômetros da atividade econômica, sinalizam essa retomada. Mais especificamente o imobiliário
apresenta números que comprovam incremento ou instabilidade – e não mais queda: o Índice Geral do Mercado Imobiliário Comercial (IGMIC), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), aponta que, no primeiro trimestre de 2018, as taxas de retorno da renda, capital e total foram de, respectivamente, 1,47%, 0,23% e 1,70%, sobre o trimestre anterior.