Após um período turbulento nas contas, a operadora de planos de saúde Unimed Grande Florianópolis comemora os resultados de 2017: a receita teve incremento de 9,2%, gerando um saldo positivo de R$ 26 milhões – em 2016, esse valor foi de R$ 661 mil. Segundo o presidente Théo Fernando Bub, isso é resultado de plano de ação para reaver o crescimento da cooperativa, implantado em 2015, focado em gestão racionalizada e de custos

UNIMED GRANDE FLORIANÓPOLIS ALCANÇA SALDO MILIONÁRIO APÓS INVESTIR EM GESTÃO RACIONALIZADA E DE CUSTOS.


Após um período turbulento nas contas, a operadora de planos de saúde Unimed Grande Florianópolis comemora os resultados de 2017: a receita teve incremento de 9,2%, gerando um saldo positivo de R$ 26 milhões – em 2016, esse valor foi de R$ 661 mil. Segundo o presidente Théo Fernando Bub, isso é resultado de plano de ação para reaver o crescimento da cooperativa, implantado em 2015, focado em gestão racionalizada e de custos.

“Desde então, houve redução dos cargos administrativos ocupados por médicos cooperados, diminuição do quadro de colaboradores, encerramento de contrato de patrocínios, extinção do cartão corporativo que era utilizado pelos integrantes da antiga gestão, revisão dos contratos, além de negociações com empresas corporativas”, detalha.

Outra ação é oferecer cada mais serviços próprios – o que também impacta a receita – e um exemplo disso é o Hospital Unimed, inaugurado em 2014 e que já atendeu mais de 130 mil pacientes. A estrutura inclui UTI pediátrica e nove leitos, outros 90 leitos de internação, 20 de UTI adulto e seis salas cirúrgicas, além de serviço de diagnóstico por imagem, que realiza exames de ressonância magnética, ultrassonografia, radiografia digital e tomografia para pacientes internos e externos.

“Temos investido em equipamentos de alta tecnologia para a realização dos exames: o aparelho de tomografia computadorizada com multidetectores, por exemplo, é um dos poucos disponíveis no estado e permite a aquisição de imagens com alta qualidade e menores doses de radiação, o que garante maior segurança aos pacientes. Também investimos no treinamento da equipe para auxiliar o cliente em suas necessidades”.

Para o segundo semestre de 2018 está prevista a implantação do compliance (significa estar em conformidade com leis e regulamentos internos e externos). “Essas práticas vão ao encontro de uma gestão transparente, com condutas éticas entre todas as partes”, argumenta ele, explicando que consultorias já foram realizadas para dar conta do processo. “Com ela, esperamos assegurar ainda mais o cumprimento das leis, dos valores éticos, dos princípios cooperativistas e da transparência em todas as relações”.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Théo Fernando Bub (Presidente)
FOTO: Divulgação