Um dos setores mais atingidos pela crise econômica que o país enfrentou nos últimos anos, a indústria da construção começou a mostrar sinais de recuperação, com crescimento do crédito imobiliário, retração no número de demissões e novos lançamentos previstos.

Expectativa é de que os empresários alavanquem a economia com novos investimentos


Um dos setores mais atingidos pela crise econômica que o país enfrentou nos últimos anos, a indústria da construção começou a mostrar sinais de recuperação, com crescimento do crédito imobiliário, retração no número de demissões e novos lançamentos previstos.

Para o ano de 2019, o cenário da indústria da construção civil demonstra viés de crescimento, segundo um levantamento realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon-PR), porta-voz de mais de 4 mil empresas. A perspectiva é que o setor volte a crescer e retome a competitividade.

A sondagem revelou que pelo menos 59% dos empresários do setor esperam para o próximo ano crescimento em relação ao nível de atividades. A projeção reflete nos postos de trabalho do setor. De acordo com a pesquisa, mais de 90% dos empresários pretende contratar ou manter os funcionários.

 

Retomada do setor

O Índice de Confiança da Construção (ICST) avançou 1,5 ponto em outubro de 2018, chegando a 81,8 pontos. Neste sentido, a confiança dos consumidores teve um aumento de 120%, enquanto dos empresários o número cresceu e a expectativa é de 60% no setor. Com a confiança em recuperação, o cenário futuro mostra-se otimista.

“A confiança é o principal ponto para o investimento, tanto para o empresário quanto para o consumidor”, afirma Sérgio Luiz Crema, presidente do Sinduscon – PR.

A expectativa acompanha as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro que, após apresentar quedas em 2015 (-3,77%) e 2016 (-3,59%) e leve alta em 2017 (0,98%), deve crescer 1,39% ainda neste ano e 2,5% em 2019, segundo as projeções do Banco Central.

“O baixo estoque de imóveis representa um grande potencial para o setor. O mercado já apresenta sinais de otimismo com o crescimento de áreas e unidades liberadas deste ano, impulsionando apostas em tendências para garantir o crescimento”.

 

Tendências no setor para 2019

Os novos processos, métodos de execução e tecnologias devem continuar em ascensão no setor. De acordo com o Sinduscon – PR, três vetores de inovações prometem ter um aumento considerável no próximo ano, o BIM, as construções sustentáveis e os aplicativos.

Um dos grandes desafios da construção, a compatibilização de projetos, ganha um aliado muito importante, a tecnologia BIM (Building Information Modeling). A ferramenta tem o objetivo de unificar as informações e os detalhes de vários projetos de construção e criar um modelo 3D da obra, muito mais próximo do resultado final do que os protótipos 2D.

A sustentabilidade também é um tema que vem se tornando indispensável em qualquer empresa do ramo. A grande quantidade de resíduos e insumos, como por exemplo, energia elétrica e a utilização de recursos hídricos, representam um desafio na minimização dos impactos provocados pelas construções.

A mobilidade é uma evolução tecnológica que está sendo utilizada em, praticamente, todas as empresas que visam lucratividade e otimização. Na construção civil, a utilização de aplicativos móveis tem garantido bons resultados nos canteiros de obras.

Especialmente numa área de alta competitividade, como a construção civil, as tecnologias inovadoras mostram-se grandes aliadas para melhorar a competitividade das empresas.

“Oferecendo soluções para facilitar até mesmo os projetos mais complexos, as tecnologias conseguem prever falhas antes que possam influenciar negativamente o andamento da obra e também otimizar todo o processo”, afirma Adriana Bombassaro, diretora de Produtos da Teclógica, empresa de TI e negócios de Blumenau, que desenvolve soluções tecnológicas para a área de construção.

 

 

Em Destaque: Mais de 90% dos empresários ouvidos pretende contratar ou manter funcionários. Foto: Pixabay.