Nas últimas duas décadas, o público vem, ao mesmo tempo, acostumando-se à rotina de lançamentos e entregas de empreendimentos comerciais e residenciais realizados pela Cidade Pedra Branca, e sendo surpreendido pelas inovações de estilo e funcionalidade agregadas a cada um deles.

SUCESSO DE COMERCIALIZAÇÃO, AEROPARK PEDRA BRANCA TEM A PRIMEIRA FASE ENTREGUE


Nas últimas duas décadas, o público vem, ao mesmo tempo, acostumando-se à rotina de lançamentos e entregas de empreendimentos comerciais e residenciais realizados pela Cidade Pedra Branca, e sendo surpreendido pelas inovações de estilo e funcionalidade agregadas a cada um deles.

Em 2018, quando o bairro planejado comemora 20 anos de criação, a novidade para o segundo semestre é a entrega da primeira fase do Aeropark Pedra Branca, um loteamento empresarial e aeronáutico inspirado no conceito americano de fly-in, que reúne moradia e a comodidade de acesso à pista aeronáutica, permitindo aos proprietários aterrissar e estacionar aeronaves pertinho de casa ou trabalho.

“O Aeropark tem um protocolo urbanístico definido e rigidamente seguido, o que permite manter o objetivo de nosso bairro-cidade, ou seja, a promoção de qualidade de vida no conceito de morar, trabalhar e se divertir em um mesmo lugar. Uma filosofia em que cabe muito bem as muitas conexões e negócios geradas por um condomínio com viabilidade aeronáutica”, explica Marcelo Gomes, presidente da Cidade Pedra Branca.

O projeto será construído em duas fases e serão, no total, 375 lotes (44 deles destinados à construção de hangares integrados ao Aeroclube de Santa Catarina).[/vc_column_text]

No aeroclube, há pista homologada de 900 metros e abastecimento próprio de combustível, e sua localização (ao lado da escola de aviação do aeroclube) facilita também o fretamento de aeronaves. Isso se constitui em uma facilidade tanto na hora de organizar as viagens de negócios quanto de receber clientes que viajem de jatos particulares.

Em termos de infraestrutura o condomínio terá duas avenidas principais com fiação subterrânea, vias com pavimentação asfáltica, facilitando o acesso ao empreendimento, ciclovias, rede de distribuição de energia e sistema de coleta de esgoto, além de rede de abastecimento de água, drenagem pluvial e sistema de segurança integrado.

De acordo Marcelo Bonassis, gerente comercial da Cidade Pedra Branca, o sucesso de vendas desta primeira fase do empreendimento é a prova do potencial econômico do modelo e sinaliza a importância da iniciativa para o desenvolvimento de Palhoça e São José, apontados como acessos oficiais do empreendimento.

[/vc_column][/vc_row]

“De um total de 109 lotes que disponibilizamos para a venda na primeira fase, já temos, com a etapa ainda em andamento, um índice de comercialização de 80%. E, no segundo semestre, com a conclusão dessa fase, já daremos início ao segundo momento, com a comercialização de outras 124 unidades”, afirma o gerente, destacando a localização privilegiada como um dos pontos altos do empreendimento.

A empolgação de Bonassis de certa forma é reflexo das previsões da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) referentes ao mercado da aviação executiva até 2024 (que dão destaque à posição da América Latina), e dos dados do Anuário Brasileiro de Aviação Civil 2017, que segundo o qual, em 2016 existiam 12 mil aeronaves focadas no uso executivo e mais de dois mil helicópteros no País.

Ou seja: engana-se quem pensa que o Brasil ainda está à margem do segmento da aviação executiva, e esse crescimento amplia a demanda por facilidades de acesso a aeroclubes e estacionamentos para aviões.

“O loteamento já está integrado ao novo acesso da Pedra Branca, junto à futura avenida que vai ligar Palhoça e São José, com fácil acesso às rodovias SC-281 e BR-101”, completa Marcelo Bonassis.

A segunda etapa do Aeropark Pedra Branca tem conclusão agendada para agosto de 2020.

 
  • Os lotes empresariais tem a partir de 623 m² com viabilidade de uso nas áreas comerciais, industrial e de serviço;
  • Os lotes aeronáuticos tem a partir de 893 m²;
  • A viabilidade de construção é 4 pavimentos;
  • São 385 lotes distribuídos em 24 quadras numa área total de 596.79 mil m²;
  • O Condomínio está integrado ao conceito e política de segurança da Cidade Pedra Branca, inclusive com a Associação de Proprietários.

INICIATIVA PIONEIRA COMPLETA 20 ANOS COMO CASE DE SUCESSO


Projetada a partir do princípio da sustentabilidade e da manutenção do foco no desenvolvimento humano, em 2018 a Cidade Pedra Branca comemora não apenas 20 anos de existência, mas também a consolidação de uma proposta bem sucedida, que transformou o bairro-cidade em um dos principais cases brasileiros de economia criativa: são sete empreendimentos residenciais e comerciais já entregues, oito mil moradores e cerca de 100 mil pessoas (entre moradores, estudantes, trabalhadores e visitantes) circulando pelo bairro a cada mês.

Empreendimentos residenciais e comerciais confirmam a proposta de estímulo à convivência

Ambiente fértil para iniciativas variadas, a Cidade Pedra Branca abriga universidade, escolas (hoje já são duas), empresas de tecnologia, indústrias e um comércio diversificado, gerando empregos e renda e firmando-se como um dos mais importantes contribuintes para o desenvolvimento econômico de Palhoça.

Mas de acordo com o secretário Executivo de Esporte e Cultura de Palhoça, José Virgílio da Silva Júnior, as contribuições do bairro para o município não se resumem às questões de arrecadação, e se refletem, também, nas áreas cultural, esportiva e turística.

José Virgílio da Silva Júnior
Secretário Executivo de Esporte e Cultura

“Na área cultural a Pedra Branca promove diversos eventos, como o Natal Encantado (que em 2017 chegou à sua 4ª edição), e o Saint Patrick’s Day, também já tradicional, que atraem muitos visitantes para nossa cidade, estimulando o turismo. E, na esportiva, temos um complexo aquático de nível internacional na Unisul, onde são desenvolvidos projetos sociais direcionados ao público infanto-juvenil. É um universo de possibilidades em um modelo de empreendimento que só tem a acrescentar para o município”, explica.

Reforçando esse cenário, 2018 está sendo um ano de novidades e números significativos, com a chegada da segunda escola ao bairro (Colégio Dom Bosco, que já no primeiro ano letivo superou as expectativas e conta com 300 alunos) e lançamento e entrega de projetos imobiliários.

Além da entrega da primeira etapa do Aeropark, programada para agosto, em janeiro deste ano o Pátio Civitas (um mix residencial e comercial), teve suas obras iniciadas. Nesse projeto, merece destaque o conceito de pátio central como um grande ponto de encontro e das diversas opções de lazer que transformam as áreas comuns em uma extensão dos apartamentos.

Assim como o colégio, que adota uma linha pedagógica com base nos valores humanos, na convivência e na sustentabilidade, também o projeto do Pátio dá continuidade à proposta de viver bem e em comunidade, que sempre norteou a criação da Cidade Pedra Branca.

“Acreditamos numa cidade feita para as pessoas, aberta ao convívio e à troca de ideias. Sobretudo que gere conexões entre áreas, as pessoas e os novos negócios”, conclui Marcelo Gomes, presidente da Cidade Pedra Branca.