Atuando no segmento de escaneamento 3D, a empresa Wrodacki, do casal Marcelo e Camila Rodacki, projeta um incremento de 15% em vendas e receitas em 2019.

Atuando no segmento de escaneamento 3D, a empresa Wrodacki, do casal Marcelo e Camila Rodacki, espera crescer no mercado da construção civil. Otimistas, eles têm a expectativa de um incremento de 15% em vendas e receitas em 2019.

Empresa jovem – foi criada em 2018 pelo casal Marcelo Rodacki e Camila Kleis Rodacki, ambos engenheiros civis, de Blumenau –, a Wrodacki atua no segmento de escaneamento a laser 3D.  Atualmente, o foco do trabalho é indústria de manufatura e patrimônio histórico em Santa Catarina e no Paraná, mas já está prospectando clientes no mercado da construção civil (desde construtoras até arquitetos de interiores e imobiliárias e também do varejo).

Marcelo Rodacki

“A indústria da construção civil sofrerá grande impacto nos próximos anos com tecnologias cada vez mais acessíveis e versáteis. Não apenas a qualidade dos serviços deve aumentar como também a segurança no canteiro de obras, a diminuição de retrabalhos, desperdícios materiais e financeiros, e a redução do tempo gasto em atividades sem valor agregado”, afirma Marcelo.

O escaneamento a laser 3D é uma das soluções da indústria 4.0 que tem uso em diferentes segmentos de negócios como, por exemplo, na produção de plantas arquitetônicas ou no layout fabril, acompanhamento e monitoramento de obras, produção de maquetes e animações. Um dos trabalhos realizados pela empresa, de forma voluntária, foi o escaneamento da arquitetura, fachada e interior do Teatro Carlos Gomes, inaugurado em 1939, em Blumenau. As informações podem ser usadas em futuras obras de restauro ou mesmo de ampliação do imóvel.

Os irmãos estão otimistas com os resultados futuros e a expectativa, segundo Camila, é um incremento de 15% em vendas e receitas em 2019.

Camila Kleis Rodacki

“Os investimentos na construção civil têm aumentado e a busca por inovação e novas ideias também”, diz. “O laser scanner não é só mais uma tecnologia diferente e bacana: ela realmente traz benefícios produtivos e técnicos que interferem nos custos, no prazo e na qualidade do produto final”.

Para atender a maior demanda projetada para o próximo ano, a intenção é dobrar o quadro de funcionários.

 “Nossa estratégia, neste momento, é o desenvolvimento de projetos que nos auxiliem a identificar as principais necessidades dos clientes, mas também que ajudem o cliente a perceber os benefícios que a tecnologia e novos processos podem trazer”, diz Camila.

Entre as estratégias de marketing é a participação de feiras em eventos do setor no Brasil e exterior, entre elas a Construtech e Silicon Valley Conference (ambas em São Paulo), Construsul (Rio Grande do Sul) e Spar3D (principal feira internacional de tecnologias 3D, realizada na Califórnia). “Acreditamos que o aprimoramento constante e a troca de experiência entre todos os envolvidos da cadeia produtiva é papel determinante para obter os melhores resultados. Feiras e eventos são ambientes propícios para isso”, afirma ela.

 

Em destaque: Um dos usos do escaneamento 3D é na documentação para recuperação de patrimônio histórico  |  Foto: Divulgação

 

Na indústria, escaneamento 3D é utilizado para estudo de layout